Ganhar dinheiro na internet é o sonho de muita gente que gosta de produzir conteúdo, mesmo que seja um baita desafio. Mas não é impossível!

Para aqueles que conseguem seu espaço ao sol nesse mercado, outro fator pode ser determinante para seu sucesso financeiro: a organização.

As finanças de pequenos empreendedores digitais pode ser um assunto colocado de lado por muita gente, e é isso que pode definir o seu sucesso ou não. Quer saber melhor? Fique atento nesse texto!

 

 

Por que organizar finanças de pequenos empreendedores digitais é importante?

A gestão financeira de pessoas que optam pelo simples nacional – como os MEIs e Pequenas Empresas – é um assunto que, muitas vezes, fica de lado.

Isso porque essas empresas são geridas por poucas pessoas, quando não por apenas uma, e outros assuntos se tornam mais importantes.

Mas, ora: se você quer ganhar dinheiro na internet, deixar suas finanças desorganizadas não é uma boa ideia, não é?

A organização financeira permite um maior controle que mostra o quanto se investe, se tem de despesa e quanto de lucro sua empresa obtém. Em outras palavras, é possível mensurar o crescimento do seu negócio.

Com ela o planejamento de sua vida será mais fácil: organizar férias e comprar bens (apartamento, casa ou carro), por exemplo, será uma tarefa mais simples e segura.

Já a falta de organização pode gerar endividamento, você não saberá o que está economizando e aplicará investimentos errados.

 

 

5 dicas para organizar suas finanças

Posto tudo isso à mesa, você percebeu que deve organizar suas finanças agora mesmo, não é? E como a tarefa não é das mais simples, por mais que possa parecer, algumas dicas sempre são bem-vindas, certo?

Então fique com 5 que te ajudarão muito a prosperar seus negócios!

 

1. Procure um contador

Esse é um caminho que muita gente faz para organizar suas finanças. O profissional de contabilidade auxilia não só a ter um controle financeiro melhor, como também ajuda em questões legais do assunto.

Muitos pequenos empreendedores simplesmente esquecem de prestar contas à Receita Federal, por exemplo.

Com um contador, todas as nuances de se declarar imposto ficam mais tranquilas.

Há ainda alguns processos burocráticos, como a própria emissão de nota fiscal, que podem ser realizadas com mais clareza com a ajuda do contador.

Outro exemplo é o uso do GINFES em algumas cidades. Cada município pode possuir a sua própria Gestão Inteligente da Nota Fiscal de Serviço Eletrônica. Com o contador, as dúvidas que podem surgir para acessar esse sistema poderão ser tiradas e seu uso será mais facilitado.

Será o profissional que auxiliará com outros temas fiscais, como as obrigações acessórias ou até mesmo a inscrição estadual – algo obrigatório para alguns segmentos, como o comércio.

Se contar com a ajuda de contador for válido para você, atente-se apenas para contactar um que tenha experiência com negócios digitais, já que as questões fiscais para esse mercado são bem menos complexas.

 

2. Separe o que é pessoal e o que é da sua empresa

Pequenas empresas, principalmente os MEIs, cometem um erro crasso: não separar o que é do negócio e o que é pessoal quando o assunto é finanças.

Isso porque muitos acham que as despesas podem ser comuns entre o físico e o jurídico, e criar um planejamento separado é complexo.

Mas não. A saída para organizar as finanças de pequenos empreendedores digitais, separando o que é da empresa e o que é da pessoa, é criar contas bancárias separadas.

E para ter um ganho pessoal que não seja aquele do empreendimento, você pode estipular uma remuneração fixa, aquilo que você precisa para viver, sem prejudicar a saúde financeira de seu negócio.

 

3. Registre TUDO!

Para controlar, é preciso registrar. Ter absolutamente tudo anotado e registrado sobre o que entra e o que sai de sua empresa.

Contas, pagamentos, impostos, despesas das mais simples, retornos dos menores que sejam. Esse tipo de controle é fundamental para acompanhar o seu fluxo de caixa e ter uma real noção do que se gasta, investe e, claro, do que você tem de lucro no final do mês.

Lembre-se de sempre manter registrado o que é pessoal e o que é do negócio. Mesmo a sua retribuição precisa ser colocada nesse controle.

 

4. Tenha uma reserva

A reserva é aquele fundo em que você investe para ter em caso de emergências. Prever esse investimento é essencial para que a sua saúde financeira não seja prejudicada.

Ela servirá para épocas de crises, eventualidades, emergências. E não ache que elas serão pouco comuns e que podem ser cobertas com o fluxo normal do caixa.

Geralmente elas chegam sem avisar e podem arrebentar seu planejamento financeiro por melhor que ele esteja.

 

5. Use e abuse da tecnologia!

A tecnologia é amiga a toda hora, e é claro que ela estaria a favor de organizar as finanças de pequenos empreendedores digitais.

Existem muitas facilidades tecnológicas que ajudam a ter controle financeiro, ajudar na gestão do seu dinheiro, sem falar das próprias inovações de emissão de NFS-e, por exemplo.

Se o seu negócio emite muita nota e lida com controle de documentos fiscais, investir em uma ERP ou um outro tipo de sistema de emissão de NFe pode ser uma saída muito vantajosa, por exemplo.

É claro que esses sistemas ajudarão não apenas no seu controle financeiro, mas como na gestão da empresa como um todo.

 

 

FONTE: https://dindimpordindim.com.br/meu-dinheiro/financas-para-empreendedores-digitais/