Já descobriu a importância de poupar dinheiro e agora quer investir o que economizou?

Então, para ter sucesso na próxima etapa, você precisa dar fim à famosa pergunta: como começar a investir?

Diferente do que muitos pensam, não é preciso ter muito dinheiro para dar o primeiro passo e nem ser especialista em finanças. Hoje em dia existem opções de investimentos para todos os bolsos, com aplicação inicial baixa e com baixo risco.

Neste artigo reunimos dicas valiosas que vão te ajudar a dar os primeiros passos em investimento para fazer o dinheiro render mais. Boa leitura!

 

 

O que preciso saber antes de começar a investir?

Para começar a jornada, é preciso ficar bem atento com os quatro passos de preparação. Eles simplificam o caminho e contribuem para esta missão. Veja mais:

 

1 – Estabelecer objetivos

Conquistar o hábito de investir fica muito mais fácil definindo objetivos. Com um bom plano de ação e motivação pessoal, guardar dinheiro tendo uma meta como base facilita o controle e traz realização a cada conquista.

E quando falamos em objetivos, não precisa ser algo grande, como comprar um apartamento ou trocar de carro. Pode começar com um objetivo menor e depois evoluir, como poupar R$100 por mês e começar a investir com esse valor.

Na hora de criar metas, lembre-se que elas precisam ser objetivas, simples de entender e ter os pés no chão.

 

2 – Organizar a quantia mensal que vai para os investimentos

A quantia investida deve sempre estar de acordo com o orçamento pessoal. Também veja se o valor aplicado por mês está de acordo com o objetivo definido.

Se der, aumente um pouquinho, em meses mais apertados, não tenha medo de reduzir, o importante é manter o controle das finanças para seguir aplicando.

 

3 – Descobrir seu perfil de investidor

Saber qual é o seu perfil te ajuda a escolher os investimentos mais alinhados com seus planos. Este perfil de investidor é construído com base em algumas informações como sua tolerância aos riscos do mercado, idade, situação financeira, e, claro, os objetivos para o futuro.

 

4 – Faça um investimento teste

Como já falamos, o primeiro passo é sempre o mais difícil, então, fazer uma aplicação para testar é bem interessante.

Encare esse investimento como uma espécie de “treino”, então, utilize um valor baixo.

 

 

O tripé dos investimentos

Para entender como começar a investir, você precisa conhecer os três pontos a seguir, que são muito importantes na vida de qualquer investidor.

 

Rentabilidade

É quanto o seu dinheiro rende em relação ao investimento feito. Ou seja, qual o percentual de dinheiro que se pode ganhar em determinada aplicação.

 

Liquidez

A liquidez pode ser definida como a facilidade de resgatar o dinheiro investido ou de ter o dinheiro na conta assim que precisar. Quanto mais rápido você consegue o valor de volta, mais alta é a liquidez e menor tende a ser o risco do investimento.

 

Risco

O risco está ligado com a possibilidade do retorno ser baixo ou até mesmo negativo.  Isso pode acontecer se a economia não vai bem, se existe alguma mudança na taxa de juros do mercado, se a empresa apresenta um resultado ruim para os acionistas, entre outros.

Normalmente, investimentos de alta rentabilidade apresentam riscos maiores, enquanto os de menor rentabilidade têm riscos baixos. Isso não é uma regra, mas é o cenário mais comum.

 

 

Os cinco erros mais cometidos por iniciantes

Agora que você já aprendeu o caminho básico sobre como começar a investir, conheça os erros mais cometidos pelos investidores de primeira viagem:

  • Investir todo capital em renda variável: a renda variável costuma envolver riscos mais altos, por isso, não é recomendado colocar o dinheiro somente em aplicações desse tipo, muito menos em um único investimento;
  • Se deixar levar pelas propagandas de investimento: sabe aqueles anúncios, vídeos e artigos que mostram os melhores investimentos que prometem enriquecimento rápido? Fuja dessas dicas. Somente você pode descobrir quais investimentos tem mais a ver com o seu perfil de investidor e com o momento financeiro;
  • Não avaliar riscos: toda aplicação apresenta riscos, sejam eles altos ou baixos. Fique sempre atento ao nível de risco da aplicação (muito baixo, baixo, médio, alto, muito alto) e saiba qual você pode tolerar;
  • Não considerar os custos do investimento: existem investimentos que apresentam taxas, como taxa de performance e de administração. Fique atento a essas cobranças!
  • Pegar empréstimos para investir: se você já ouviu falar nessa prática, saiba que ela não é nada recomendada, pois, se o seu investimento não tiver boa rentabilidade, você terá adquirido uma dívida sem necessidade.

 

 

FONTE: https://blog.pagseguro.uol.com.br/dicas-para-comecar-a-investir/